jusbrasil.com.br
22 de Setembro de 2018

'Mereceu ser morta!': OAB se manifesta sobre polêmica envolvendo estudantes de Direito

DR. ADEvogado, Administrador
Publicado por DR. ADEvogado
mês passado



A OAB de Cascavel se manifestou sobre a polêmica envolvendo mensagens publicadas em um grupo de Whastsapp que une estudantes de direito de uma faculdade de Cascavel.

Nas mensagens, ao comentar a morte da também advogada Tatiane Spitzner, ocorrida no último mês, acadêmicos afirmam que feminicídio não existe, que mulheres são culpados por estupros, que se ela foi assassinada mereceu morrer e que lugar de mulher é rezando, lavando louça e cuidando dos filhos.

O presidente da OAB, Charles Duvoisin, entende que a postura dos acadêmicos foi imatura e prejudicial.

“Sabemos que o machismo está enraizado dentro de alguns lares, mas ele vai contra um direito fundamental, que é a liberdade da mulher. Quem fala isso não tem noção da vida em sociedade e da importância da mulher”.


Charles relata que os advogados precisam seguir um estatuto com diretrizes éticas, mas não é papel da OAB agir quando se trata de profissionais em formação. Ele lembra, no entanto, que os responsáveis podem responder criminalmente mediante representação ou que a própria instituição de ensino pode agir de acordo com suas normas internas.

Veja a nota emitida pela entidade

NOTA DE REPÚDIO


Em atenção à matéria veiculada no portal de notícias CGN no dia 16 de agosto de 2018, a Subseção da Ordem dos Advogados de Cascavel vem a público manifestar e, de plano, repudiar o fato ocorrido envolvendo alguns alunos do curso de Direito de uma faculdade particular de Cascavel, os quais fizeram comentários eivados de preconceito, com conotações machistas e totalmente desarrazoados, em um grupo de WhatsApp, envolvendo o caso da advogada Tatiane Spitzner, cuja morte está sendo investigada junto à Comarca de Guarapuava, tendo como principal suspeito seu marido.


Os comentários ofendem não só a figura da mulher advogada, mas a todos que compõem nossa sociedade.


A OAB há muito hasteia a bandeira do respeito mútuo, da harmonia social e da preservação dos direitos fundamentais, inseridos no artigo da nossa Constituição Federal. É lamentável nos depararmos com situações em que um estudante de Direito, em rede social, venha a tecer comentários tendentes a banalizar a violência sofrida pela advogada supramencionada, ou ainda, culpando-a pelos grotescos atos praticados pelo parceiro.

O desrespeito à condição de gênero é um ato de agressão a toda mulher, sendo ela advogada ou não, e merece o mais duro e veemente repúdio. Traduz-se em ato truculento, reacionário, que causa ultraje e fere o Estado Democrático de Direito, pelo qual tanto lutamos.

DIRETORIA DA OAB CASCAVEL

COMISSÃO DA MULHER ADVOGADA DA OAB DE CASCAVEL

*(Foto meramente ilustrativa: reprodução Internet)

(Por: Mariana Lioto / Fonte: cgn.inf.br)

_________________________________________________

-> Manual Prático do NCPC - Curso Completo, Modelos de Petições, Jurisprudência + 3 Bônus!!

-> COMBO 7 EM 1 - Diversos Modelos de Petições e Teses Jurídicas - Restituição do ICMS sobre as Contas de Luz, Exclusão do ICMS da Base de Cálculo do PIS e da COFINS, Revisão da Vida e muito mais!

-> PEÇAS RECURSAIS CÍVEIS - Modelos Completos de todos os Recursos - 100% Atualizados - Melhor do Mercado!!Confira!!

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Vermes babacas. Lugar de imbecil assim é no campo comendo grama e não numa faculdade de Direito. continuar lendo

Em minha universidade aconteceu um caso parecido, acadêmicos de direito falando coisas indevidas em grupos de Whatsapp, é claro, eles estão ofendendo as mulheres, sem necessidade e de forma totalmente contrária aos direitos fundamentais da pessoa. Mas para mim não ficou claro em qual grupo de Whatsapp eles estavam, pois em vários grupos o assunto sempre é "brincadeiras" mesmo que de mal gosto.
Devemos ter cuidado ao julgá-los. continuar lendo

Se essas mensagens são de estudantes de Direito, deveriam no mínimo serem expulsos da faculdade. Sem mais. continuar lendo