jusbrasil.com.br
31 de Outubro de 2020

AGU fará representação contra juiz que chamou situação do país de "merdocracia"

DR. ADEvogado, Administrador
Publicado por DR. ADEvogado
há 9 meses

(André Mendonça afirma que a AGU irá fazer uma representação no CNJ contra juiz que definiu o Brasil como "merdocracia")

O advogado-geral da União, André Mendonça, se manifestou sobre a sentença do juiz Jerônimo Azambuja Franco Neto, da 18ª Vara do Trabalho do TRT da 2ª Região, que ganhou repercussão neste fim de semana após reportagem na ConJur.

Ao julgar procedente a ação do Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro e Similares de São Paulo e condenar um restaurante à observância de cláusulas normativas referentes ao piso salarial normal e seguro de vida, o magistrado afirmou que o país vive uma “merdocracia liberal neofascista”.

“O linguajar utilizado na sentença — característico de um militante partidário, não de um juiz — foge da técnica jurídica e claramente viola o Código de Ética da Magistratura. A AGU representará perante o Conselho Nacional de Justiça", afirmou Mendonça.

Além de definir a situação do país como uma verdadeira “merdocracia”, Franco Neto cita alguns dos principais personagens do governo de Jair Bolsonaro.

“O ser humano Weintraub no cargo de Ministro da Educação escreve" imprecionante ". O ser humano Moro no cargo de Ministro da Justiça foi chamado de" juizeco fascista "e abominável pela neta do coronel Alexandrino. O ser humano Guedes no cargo de Ministro da Economia ameaça com AI-5 (perseguição, desaparecimentos, torturas, assassinatos) e disse que"gostaria de vender tudo". O ser humano Damares no cargo de Ministro da Família defende" abstinência sexual como política pública ". O ser humano Bolsonaro no cargo de presidente da República é acusado de" incitação ao genocídio indígena "no Tribunal Penal Internacional”, diz trecho da sentença.

O magistrado ainda cita o procurador da República Deltan Dallagnol que, segundo ele, “imbuído da lucratividade com suas palestras e holofotes (como revela The Intercept Brasil), propagou fazer jejum para o aprisionamento de Lula em um sistema penal, como já dito, fracassado e racista no Brasil”.

Clique aqui para ler a decisão que será alvo de representação1001132-78.2019.5.02.0018

(Fonte: Conjur)


Conheça também o nosso INSTAGRAM e tenha acesso ao nosso conteúdo de Humor Jurídico!

O Fantástico KIT com 30 MIL Modelos de Petições contém 78 pastas, divida por assunto e matéria, onde vai desde Petições Iniciais até Recursos...

Conheça a tese da Revisão da Vida Toda (Vida Inteira ou Inclusão de Todos os Salários de Contribuição) – Da teoria à prática

Material Completo 2019 - Guia Prático sobre a Restituição de ICMS sobre a fatura de energia elétrica.

21 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Quando falamos que existe Doutrinação ideológica Marxista nos Judiciário ninguém acredita continuar lendo

Não tenha a menor dúvida. Imagine a vida do Reclamado que caiu naquela vara continuar lendo

Ele errou em que? Mentiu? continuar lendo

Primeiro, esse Juiz não sabe o que é "fascismo" e com certeza é mais um Magistrado esquerdista ☭ forjado, na sua época, em algum chiqueiro acadêmico de Direito, hoje apinhado de débeis com mentalidade socialista.

As gerações entre 1980 e 2013, foi contaminadas somente com um único pensamento, o esquerdismo e todas as suas variações nefastas que destruíram a educação no Brasil. Eis uma das razões, de termos um País, subdesenvolvido, em razão dessa militância ☭ tacanha e destrutiva. Nos MP's, ainda é pior! continuar lendo

Imagina a mentalidade de quem vota no"MITO" continuar lendo

Pagamos os vencimentos deste "juiz" e ainda temos que ver a autopromoção visando cargo político em algum partido de esquerda! Isso é BRASIL! Ele pode odiar a direita, a esquerda, o centro, mas no exercício das suas profissões ele deve JULGAR! Princípio da correlação e adstrição para este Magistrado. continuar lendo

E ele mentiu? continuar lendo

Os errados somos nós, que imaginamos que os representantes do judiciário, por possuírem a prerrogativa do julgamento de pessoas e atos, devam ser obrigatoriamente sensatos e ponderados.
Mas tudo na verdade, se resume a um concurso, uma oportunidade e no fim, um cada um de cada um. continuar lendo